Desarmamento

 

A única e maior liberdade é da auto defesa que pode garantir todos os outros direitos. Ainda há um povo que mantém sua segunda emenda e pode-se dizer que é dos poucos pensantes do planeta realmente livre. É  garantia contra o abuso do Estado e dos criminosos.

Auto-Defesa é a ultima barreira do homem livre,  contra o estado fascista, organizações ‘pacifistas’, crimes hediondos e toda forma de abusos. 

As classes dominantes tem suas próprios sistemas de defesa, segurança ou mesmo liberdade plena de se autodefender, notável por isso, e em geral, tentam negar para o povo essa garantia, porque é uma distinção de poucos, escassa portanto, que eleva sua auto imagem. Assim foi na Roma antiga, onde somente senhores e classe militar poderiam ter seu direito de defesa. Na idade média o camponês era impedido de defesa, somente ao senhor era garantida a defesa.  Na revolução francesa surgiu a primeira luz, tendo os revolucionários exigidos que as armas também fossem disponibilizadas ao povo, e não somente aos nobres.

Hoje a esquerda  já foi cooptada pelo sistema de exploração e não segue mais o processo histórico de defesa do povo, sendo aliada dos poderosos e exploradores, poucos resistem. Soma-se a isso Pautas minoritárias e identitárias que fragilizaram a já cambalida e desmoralizada esquerda, sendo essas pautas como “cavalo de tróia” minando por dentro e afastando a ideia da luta de classes.

 

Essa página já se posicionou hoje e ontem contra o desarmamento e no futuro também, porque o futuro é de liberdade, quem desejar proibir algo deverá trocar de planeta. A mesma indústria das “proibições” é das “regulamentações”, mas sempre contra os pequenos, os grandes tem defensores, e quem será pelo povo?

O fascismo é todo poder ao governo. Por isso quem defende que só o governo tenha armas é um fascista, não importando a sua opinião, da mídia ou de seu partido dizendo o contrário. Não se intimide pela ideologia dos exploradores do povo, não é novidade que explorados acabem por “comprar” e cooperar com a mesma ideologia do opressor.

Nesse tempo de inteligência e comunicação, nem se discute se o povo deve ou não ter armas, é um direito natural e universal, na realidade as armas são originalmente do povo, e não cabe a nenhum estado ou governo proibir, o povo, veio antes dos agentes controladores, portanto decide e é o chefe. E quando um governo ou imprensa levantam essa questão já deveriam ser enquadrados em crimes de tentativas de usurpação do poder popular e condenados expressamente. Não existe lobistas de armas, industria bélica, ou bancada da bala, mas falsos esquerdas apoiados por banqueiros, ong’s e mídia que procuram sabotar o poder e autonomia popular. Querem o monopólio da força porque de outra maneira não conseguiriam impor suas idéias e ideologias absurdas, que o povo deverá aceitar, passivo e sem defesa. A filosofia de autodefesa do povo, também é constantemente sabotada por esses supostos “pacifistas”. Não se engane:

 

O pacifista que apoia o Estado para o desarmamento do povo é tão ordinário e criminoso quanto os nazistas. Fique de olho nele.

 

E as perguntas…

Mas e a indústria bélica?

As armas que a população pode usar representam pouco menos de 1% do lucro da indústria armamentista. Por isso é um falso argumento que elas “faturam” com a liberação das armas ao povo. Pense nisso.

Gostam de armas?

Não gostamos de armas,  mas sem elas os bons sofreriam um genocídio por parte dos bandidos, como acontece no Brasil, e assim elas devem estar a serviço da segurança da população, e  cabe a ela o uso, quando desejar ou achar necessário. Não, armas não são caras, argumentos de impostores desses tempos, é menos de uma calça djens de marca, sem impostos algo como 250,00 reais a mais simples.

O melhor é deixar as armas para o governo?

Sempre surgem fascistas querendo recolher as armas do povo, nos momentos de tiroteios e massacres, onde a mídia aproveita para sabotar a autodefesa do povo, a mídia depende do Estado para sobreviver, nenhum empresário em sã consciência daria um centavo para as atuais programações de TV.

Atualmente, no Brasil, onde a desigualdade é gritante e alguns se acham acima dos demais, somente políticos, autoridades e artistas tem seguranças armados, e, pior, no caso de políticos e autoridades, esses seguranças são pagos com nosso dinheiro dos impostos. Significa que enquanto seu filho, sua família, fica a merce dos bandidos, é seu imposto que paga a segurança dos filhos desses que se acham ‘superiores’. É fácil, portanto, para esses bonzinhos ficarem contra que o povo tenha sua própria defesa. Nós já enviamos a Câmara projeto para que os supostos “pacifistas” abdiquem de seguranças armados com dinheiro público.

 

O esquerdismo atual é financiado por exploradores?

A atual Esquerda, atualmente é financiada por banqueiros, ongs e  apoiada por mídias, sendo vedado falar da luta de classes e desigualdade social, mas pode falar de indios, arvores, sem teto etc, as chamadas pautas minoritárias e identitárias.   Uma pessoa ou empresa produtiva jamais daria um centavo a esses parasitas, que obrigatoriamente tem de viver do dinheiro do governo/estado. Os supostos esquerdas atuais, também são contra as armas, já que para eles o governo é do povo e pode garantir toda segurança possível. Por incrível que pareça, a legitima esquerda  nasceu defendendo a posse de armas por parte do povo:

1º – A legitima esquerda, a que se sentava a esquerda na Convenção Nacional da França em 1789, época da Revolução Francesa (ai que nasceu o nome esquerda) era representada pelos burgueses e parte dos trabalhadores. Estes, deram seu sangue e lutaram para que também o povo, e não somente autoridades e nobres, portassem armas. Assim, essa “nova esquerda” que quer o desarmamento é uma aberração, é uma farsa. Nem deveria usar o nome esquerda.

2º – Mesmo Karl Marx, mentor da esquerda raiz, já no idos de 1840, disse: “Em nenhuma hipótese trabalhadores devem entregar armas e munições ao governo. Usar a força se preciso for para impedir”. O problema não é Marx, portanto, mas alguns de seus seguidores.

3º – Usam estatísticas e estudos fraudulentos para promover a sabotagem contra esse direito Universal. Tentam usar dados para provar que povo armado faz uma sociedade mais violenta. Nós sabemos que quanto mais o povo é treinado e armado, menor é a taxa de violência. Na mesma lógica desses medíocres, deveríamos também proibir carros.

Em todos os países ocorrem crimes e massacres, mas as mortes são de bons e maus. Porém no Brasil 90% são os bons que morrem nas mãos dos bandidos, brasileiros trabalhadores sem condições de defender a si e suas famílias.

 

O que dizer dessas “esquerdas desarmamentistas”?

Essas esquerdas e demais pivôs do desarmamento devemos combater de todo modo possível e de todas as maneiras e lugares- de nosso direito natural e universal deve ser garantido contra os criminosos no poder e seus burocratas amestrados, jamais devemos abrir mão ou capitular diante de políticos sabotadores e suas autoridades amestradas.

Um estudo completo e real foi feito por estudiosos Universidade de Harvard – Baseado em números e fatos, e não em emoções. Lembrando já aos desavisados que a Harvard não assina nada, nem contra nem a favor, mas sim seus pesquisadores, que são independentes.

Não deixe que trabalhem sua psicologia:

Infelizmente a desconfiança povo entre povo, vizinho contra vizinho é uma arma das elites que foi enfiada na nossa cabeça. Eles trabalham com nossos medos. Onde já se viu o trabalhador ser armado? isso é coisa de propriedade das elites, cheias de seguranças e armas, e de seus capachos políticos com seus seguranças, pagos com nosso dinheiro. Você é apenas um idiota que paga as mordomias e segurança para ele e sua família, com seu trabalho e impostos, enquanto você, como um paspalho, fica a mercê tanto dos abusos dos agentes do governo quanto dos bandidos.

Dividir para reinar, povo contra povo, vizinho contra vizinho, desconfiança no trânsito, briga de bar, essa é criação da psicologia do medo… assim eles ‘elite’ mantém o monopólio da força e das armas.

Nosso futuro é agora, criar as condições que desejamos!