A Liberdade

“Liberdade significa responsabilidade. É por isso que tanta gente tem medo dela” –  George Bernard Shaw

Liberdade não combina com excessos de leis.

E o mais assustador é ver a quantidade de pessoas que pedem mais leis para sanar dificuldades na sociedade, uma face ignorancia de doutrinados pela mídia, e que só faz aumentar problemas.

Impressiona que se peça mais restrições e leis proibitivas. Seja no trânsito, seja na criação de burocracias, seja onde for,  a vítima é o próprio cidadão. A intolerância contra a liberdade, graças a falta de cultura, demostra um povo acostumado a servidão e a sabotar a si próprios.

O Brasil é um dos países com numero de leis restritivas e regulamentares, e por consequência aumentando seus já gigantes problemas de justiça social, bem como ao poder exagerado que o próprio povo concede a suas autoridades, e essas, se fazem “césares em todo lugar”, com benesses e altíssimos salários.

É impossível ficar a mercê de tantas leis restritivas e se achar livre. Estamos diante de fantoches sociais. Alienação, manipulação mental, de mídia, imprensa, partidos, ideologias, deturpam o caráter pessoal, retirando-lhe toda essência da independência que possa ter.

Percebemos atrás desses pedidos para  mais leis, apenas caráteres mal formados, perfis servis, muitos robôs de ideologias, que por fim criam uma situação que conduz a piora, quando não, acaba por  fortalecer o controle do Estado/governo sobre uma sociedade já bastante escravizada.

Países empobrecidos e problemáticos como o Brasil,  autoridades tem grandes vantagens e mordomias, enquanto o povo esta sem qualquer garantia, o que deveria ser o inverso. Não há patriotismo dos nossos representantes para construir uma sociedade justa e equitativa,  assim como não há coragem moral para fazer essas reformas necessárias.

Conclusão:

-Não existem salvadores da pátria, e cada cidadão deve construir com sua parcela de independência e responsabilidade, chamando sobre si mesmo as decisões sobre sua vida e sobre seu país.

-É necessário criminalizar os criadores de lei.  Esse excesso de controle que burocratas  desejam exercer sobre o povo trata-se de uma aberração, e deve ser combatido energicamente.

 

“Não é o governo que deve controlar o povo, mas o Povo que deve controlar o governo”