A fraude da resistência brasileira

O antissistema virou “sistema” e achou inúmeros tolos para isso.

É risível ver: “Eu sou resistência” – “Antifascist”, podemos dizer que são os piores tipos, os mais alienados do planeta, ligados diretamente aos exploradores da humanidade… nunca tivemos tanto alienados quanto nos últimos anos, e pior, se achando “resistência”.
Esses ridículos, que sofreram lobotomia da mídia, e por ela são comandados, tem as pautas feitas pelos exploradores. O que eles defendem:

– As ongs, sim, exatamente aquelas que roubam nas terras indígenas e de preservação. Existem milhares de ongs de proteção aos índios e meio ambiente na Amazônia e Roraima, e poucas dezenas na Africa onde a fome grassa e realmente se precisa de ajuda.

– A liberdade de imprensa da mídia suja, mas quando são governo, a mídia é “golpista”. É bonito ver atualmente os mesmos que chamavam a mídia de golpista terem de defender essa sujeira. Fez mais o governo Bolsonaro em 60 dias de governo contra a emissora principal do Brasil do que o PT em 12 anos. E não está se submetendo, como outros governos, a chantagem da mídia, o que irrita a suposta “resistência”. Como foram covardes, não admitem que outros sejam corajosos.

– As multas. Na década de 80 a esquerda criou a campanha contra as indústria de multas. Hoje, ela acha interessante que essa arrecadação seja mantida pelos governos, mesmo sabendo que o problema da educação do trânsito está sendo jogado pra frente, e uma hora terá de ser resolvida pelas futuras gerações.

– Contra o armamento do povo. A falsa paz que essa ‘resistência’ admite, são os bandidos armados e o povo sendo abatido como ovelhas nas ruas. Usam o emocionalismo tolo e acontecimentos de repercussão para fazer prevalecer sua idiotice. Isso é nível internacional, não é quesito daqui. No filme “Hickok – Xerife e pistoleiro” – história passada no velho oeste, um renegado vira xerife, e um dia um grupo de arruaceiros entra na cidade e atira para tudo quando é lado, atingindo nisso uma criança na perna, o “xerife” , todo “emocionado” pede ao prefeito da cidade que baixe uma “lei” em que ninguém use armas no perímetro da cidade. Nessa mentira midiática, dura de assistir, em vez do “valente xerife” combater os criminosos e arruaceiros, ele desarma todo povo, claro, o que sucede um revolta e não aceitação, focando somente como se criminosos não a aceitassem. Como sempre, as “autoridades” são valentes para desarmar o povo, mas fracas e incompetentes para desarmar os bandidos.

A esquerda brasileira, que agora se considera “resistência” é uma verdadeira “esquina de rio”, juntando tudo quanto é tipo de lixo e o povo já está com a paciência esgotada. Não é por menos que perdeu a última eleição e não ganhará mais nada nesse Brasil, onde o povo acordou e não se submeterá mais a idéias, sujeitos, ideologias medíocres e burocracias estúpidas.